Roseli Alves

Formada em Pedagogia e com Especialização em Psicopedagogia há mais de 30 anos atua na área educacional. Experiência na área de Educação, com ênfase em Formação Continua de Professores. Atua como facilitadora de redes e coordenadora de programas e projetos que visam contribuir para a transformação da prática de profissionais da área de arte e educação, seja em sala de aula, seja em outro ambiente de trabalho, envolvendo diagnose de contexto, concepção, desenvolvimento, monitoramento e avaliação de resultados. Habilidade para gestão e mobilização de equipes de trabalho, análise de contextos educacionais, construção e desenvolvimento de projetos de avaliação de resultados. Realiza trabalho multidisciplinar, gerenciamento de conflitos, atuando como facilitadora ou mediadora. Atualmente é coordenadora geral do Instituto Arte na Escola.

 

Conheça mais sobre o Instituto Arte na Escola: http://artenaescola.org.br/

Tica Raposo

Possui graduação em Direção Teatral pela Universidade Federal da Bahia (2005). Especialização em Educação Especial  pela CESAP (2014-2015), Especialização em Arte Educação: cultura brasileira e linguagens pela UFBA (2013-2015) Atualmente é professora de teatro da rede Municipal de Educação de Salvador.  Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Arte Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: surdez, educação especial, expressão corporal e comunicação não verbal. 

Raidén Coelho

Natural de Salvador-BA. Mestre em Música pela Universidade de Brasília (UnB), Especialista em Educação a Distância pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Licenciado em Música pela Universidade Federal da Bahia (UFBa). Multi- instrumentista (saxofones, flautas, violão e pandeiro), desde 1995 tem participação ativa na cena musical, teatral, de dança e de cinema, tanto local quanto nacional, seja como instrumentista, professor, pesquisador, compositor e diretor musical. Em 2015, participando da banda I.F.Á. Afrobeat, foi agraciado com o Prêmio Caymmi de Música, na categoria “Banda Revelação”. Atualmente, atua como saxofonista e flautista do grupo Funfun Dúdú, grupo de jazz experimental e é instrumentista e diretor musical do Coletivo Invisível, grupo experimental de música eletroacústica (prêmio Calendário das Artes/SECULT-BA em 2013). Desde 2007 é professor de música da rede pública municipal de Salvador, Bahia.

Urânia Maia

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia na área de Teatro-Educação (2007), Mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (2002), graduada em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal da Bahia (1998). Atualmente é Professora Adjunto IV da Universidade Federal da Bahia. Foi professora Adjunto III da Universidade Federal de Sergipe - Núcleo de Teatro e Coordenadora do Curso de Licenciatura do NTE (Núcleo de Teatro/UFS). Foi Professora Adjunto II da Universidade Federal de Goiás da  EMAC - Escola de Música e Artes Cênicas, Coordenadora do Curso Licenciatura em Artes Cênicas EAD/PARFOR/UAB e Coordenadora do subprojeto Artes Cênicas  - PIBID  UFG/UFS. Foi professora da Universidade Federal Alagoas  - UFAL - Setor Artes  do Instituto ICHCA - Coordenadora do Curso de Teatro-Licenciatura. Tem experiência na área de teatro, educação, encenação, criação artística, direção e interpretação teatral, teatro-educação, educação e atuação, estética e história da arte. No presente, desenvolve projetos acadêmicos buscando inter-relacionar as ações artísticas oriundas do envolvimento do processo de ensino aprendizagem com os discentes durante as disciplinas ministradas onde ocorre o transbordamento interconectado com Festivais Internacionais, Nacionais e Regionais das diferentes áreas de  Artes (Artes Cênicas, Música, Dança, Direção de Artes e Suas visualidades) e Educação gerando também  diferentes produtos científicos.

José Eduardo Ferreira Santos

Nasceu no Subúrbio Ferroviário de Salvador, na área conhecida como Novos Alagados, em Plataforma. É Pedagogo (UCSal), mestre em Psicologia (UFBA), doutor em Saúde Pública pela Universidade Federal da Bahia e Pós – Doutorando em Cultura Contemporânea (PACC – UFRJ). Atualmente é professor e pesquisador no Programa de Pós – Graduação em Família na Sociedade Contemporânea da Universidade Católica do Salvador, na condição de bolsista CAPES (Coordenação e Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) pelo PNPD (Programa Nacional de Pós Doutorado.

 

Trabalha desde 1994 com projetos sociais na área de Novos Alagados e se dedica à pesquisa e intervenção desde 1996, a partir das mudanças ocorridas nessa localidade. Nos últimos anos tem realizado trabalhos na formação de professores e publicado artigos em revistas e livros em âmbito nacional e internacional. Atualmente é curador e responsável pelo Acervo da Laje, que reúne centenas de obras artísticas e históricas do Subúrbio Ferroviário de Salvador.

Odé Amorim ( Carlos Rogerio Amorim )

Educador e artista multidisciplinar que começou a narrar contos em 2002 e que, a partir de 2005, resolveu se dedicar ao que denominou "afrocontação de histórias", investigando e divulgando as tradições orais africanas, afrobrasileiras e da diáspora. Começa então a propor sessões narrativas em escolas, espaços públicos e a participar de eventos da área (festivais, mostras, seminários). Em 2012 criou o Festival de AfroContação de Histórias HADITHI NJOO que tem como características a itinerância, a diversidade de atividades e a experimentação constante de formatos e de estéticas. Já circulou por algumas localidades paulistas, outros estados e até Argentina, Cuba, Espanha e Equador. Em 2013 funda a AfroEscola Laboratório Urbano, um espaço sociocultural localizado na região do ABC paulista, que passa a ser a sede da iniciativa. Aí, organiza um acervo de publicações temáticas, produz conteúdos audiovisuais, ministra oficinas e promove intercâmbios, residências artísticas e mostras. Também integrou o projeto CANTO NEGRO. É membro da Red Internacional de Cuentacuentos (RIC).

Please reload

PALESTRANTES

Festival Petiz © 2019